#GirlPower: 5 momentos que as participantes do BBB19 mostraram o poder feminino

6

Há quase uma semana, começou a 19ª edição do reality show exibido pela Rede Globo chamado Big Brother Brasil (BBB). O programa é comandado pelo jornalista Tiago Leifert e conta com 16 pessoas confinadas em uma casa que se classifica como ‘a mais vigiada do Brasil’.

O pouco tempo de exibição já foi suficiente para que algumas participantes defendessem causas feministas e mostrassem o poder feminino em busca de quebrar preconceitos e esteriótipos machistas da sociedade.

Confira 5 desses momentos que viralizaram nas redes sociais, inclusive nesta segunda-feira (21). As montagens repercutem de forma positiva, pois a maioria do público admira as participantes mulheres que mostram o posicionamento correto em relação a muitos assuntos:

  1. Hana rebate as piadas machistas

A participante Hana criticou as piadas machistas e defende que não há nenhuma graça. Ela usou do tom irônico para relatar o argumento dos homens ao praticarem esta atitude. Confira o momento em que a sister relatou a sua experiência com a situação muito recorrente:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Real noticias BBB 2019 (@realnoticiasbbb19) em

2. Gabriela explica que ‘cabelo ruim é preconceito’

Durante uma conversa em um do quartos da casa, as meninas falavam sobre o uso de shampoo vegano de Hana, quando Paula comentou que também tem ‘cabelo ruim’. Foi então que Gabriela explicou que isso é preconceito e é preciso desconstruir o pensamento de que cabelos cacheados são feios:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Real noticias BBB 2019 (@realnoticiasbbb19) em

Gabriela também mostrou a voz feminina quando o participante Diego contou sobre o incômodo que sentiu quando um homossexual estava olhando para ele no banheiro, em seguida a sister rebateu: “Mas não foi você que disse que é inevitável olhar para a bunda de uma mulher?”, o momento tomou conta da web por se tratar de um tipo de assédio que o movimento feminista luta para acabar.

3. Rízia e Gabriela ensinam o que é racismo para colegas de confinamento 

Enquanto os participantes estavam na cozinha, Rízia e Gabriela contavam sobre os casos de racismo que já sofreram ao longo da vida, depois Tereza declarou que elas não faziam ideia de como “mulheres brancas de olho claro passam por racismo”. Foi então que as duas sisters negras retrucaram e mostraram o que de fato é racismo:


4. Isabella e Hana relatam casos de abuso sexual na infância e adolescência  

Durante o almoço, duas participantes surpreenderam os colegas de confinamento com suas experiências negativas da infância e adolescência. Isabella foi a primeira a contar:

Hana se sentiu encorajada a relatar sua história também: “Eu tava numa festa, peguei um menino em uma festa, fui no quarto com ele e rolou. Ele foi tomar banho, entrou um outro amigo dele no quarto e eu fiquei assustada. Ele comentou que só queria fazer umas coisas, eu falando que não. Aí ele tirou para fora e eu tive que fazer umas coisas com ele. Ele me segurando, eu não queria, mas tava morrendo de medo. Eu tinha 15 anos, o outro amigo dele tava rindo lá. Eu não conseguia fazer nada, ele era muito mais forte que eu. Dois babacas, espero nunca mais ver na vida.”

5. Elana defende que mulher não precisa de homem para ser feliz

Mesmo não havendo vídeos postados sobre, por ter sido um momento exclusivo para assinantes do pay per view, os fãs da participante não deixaram a frase ser esquecida na web e repercutiram várias montagens. Em uma conversa com os brothers, Elana argumentou que “mulher não precisa de homem nenhum. Depois que inventaram vibrador inseminação artificial e o cobertor térmico, homem só serve para dar trabalho”. A frase foi vista como empoderamento feminino e a força da mulher na sociedade moderna.

Outro momento forte do programa é quando Elana e Hana conversavam sobre o posicionamento machista dentro do programa, citando a história de Maycon como exemplo, já que o participante contou que perdeu a virgindade com uma cabra:

Elana já comentou também sobre ter uma profissão dominada por homens e explicou a rotina de uma engenheira agrônoma. Assim como ela, algumas sisters estão diariamente agindo contra o preconceito e predominância masculina. Ao todo são 9 mulheres e 7 homens no BBB19.