Vídeo com navio jogando petróleo no mar do Nordeste é falso

83
Segundo o direito internacional e a legislação brasileira, uma vez identificada a origem do derrame de petróleo, há uma série de possíveis responsáveis a serem processados civil e criminalmente. (Foto: Reprodução/Facebook)

As circunstâncias exatas do vazamento de petróleo na costa brasileira ainda não estão claras, mas a gravidade desse incidente para o meio ambiente e para a economia das cidades afetadas é evidente.

E com a grande repercussão da notícia sobre o vazamanto de petróleo nas praias do Nordeste, aumentaram também as notícias falsas a seu respeito. Nesta quinta-feira (10), circula nas redes sociais um vídeo com a falsa atribuição de seu conteúdo e imagens serem pertencentes ao vazamento de petróleo no Nordeste. Porém, após checagem do Pipeify, constatamos que o vídeo na verdade é de de abril deste ano. Nas imagens, o vídeo mostra um navio despejando sedimentos no mar próximo à praia de Matosinho, em Portugal. O procedimento que aparece nas imagens era parte do processo de dragagem do porto de Leixões e o material descartado era areia, não óleo.

As imagens também circulam no Facebook, onde acumulam cerca de 800 compartilhamentos até a manhã desta quinta-feira (10). Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social.

As imagens atribuídas ao vazamento de petróleo no Nordeste foram gravadas no dia 30 de abril deste ano, na verdade, e mostram uma embarcação realizando um processo de dragagem na praia de Matosinhos, em Portugal. Um usuário do Instagram postou, no mesmo dia, uma imagem que mostra o trabalho da embarcação por outro ângulo. (Foto: Reprodução/Whastapp)

Na publicação no Instagram que divulgou primeiro o vídeo, é possível verificar uma série de comentários recentes feitos por usuários brasileiros que questionam se o sedimento despejado na água é realmente petróleo. O vídeo foi postado por um perfil chamado Diz Não Ao Paredão, que protesta contra a realização de uma obra de extensão do quebra-mar da praia de Matosinho que pode causar impactos ambientais, sociais e econômicos na região.

A dragagem é um procedimento de limpeza, desobstrução e escavação de sedimentos realizado no fundo de rios, lagoas, baías e oceanos. O processo que aparece nas imagens é uma dragagem de manutenção da área próxima ao porto de Leixões. O objetivo é garantir a profundidade necessária para a navegação da porção de água da região, que vai sendo progressivamente reduzida devido ao assoreamento.

Vazamento de óleo no Nordeste
A Marinha e órgãos estaduais e federais estão atuando em conjunto para tentar identificar a origem do vazamento. Participam da operação 1,5 mil militares, cinco navios, uma aeronave e diversas embarcações e viaturas de delegacias e capitanias dos portos.

Três hipóteses são consideradas: naufrágio de embarcação, despejo criminoso ou acidente na passagem de óleo de um navio para outro. Ainda há muitas perguntas sem resposta.

Mancha de óleo no litoral do Nordeste já atingiu 62 municípios de 9 estados. (Foto: Instaram @autossustentavel)