Fake: São falsas as declarações de ministros do STF defendendo estupro e pedofilia

19

Circulam nas redes sociais esta semana duas frases atribuídas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber e Celso de Mello. Weber teria dito que estupro “é uma palavra muito forte” e que não deveria resultar em cadeia. Já Mello teria afirmado que “o sexo com uma criança não pode balizar (sic) uma punição apressada”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação do Pipeify.

“Estupro é uma palavra muito forte; eu chamo de ‘sexo forte’ e não acho que mereça cadeia assim tão facilmente”. Este texto em imagem publicada no Facebook que, até as 22h do dia 28 de outubro de 2019, tinha sido compartilhada por mais de 800 pessoas e é FALSO.

Não existe nenhum registro de que a ministra Rosa Weber tenha dito a frase analisada pelo Pipeify. Segundo a assessoria de imprensa do STF, a ministra nunca deu essa declaração.

A frase é bastante similar a um post do humorista Whindersson Nunes no Twitter, em 2014. “Estupro é uma palavra muito forte, prefiro chamar de sexo surpresa”, disse. Posteriormente, ele apagou essa publicação e se desculpou. “Me arrependo, porque eu tenho irmã, tenho mãe, e tenho medo, medo de acontecer com as pessoas que amo”, disse.

“Todo amor é lindo e deve ser válido, o sexo com uma criança não pode balizar uma punição apressada. Onde esse país vai parar se proibirmos o amor no Brasil?” Este texto em imagem publicada no Facebook que, até as 22h do dia 28 de outubro de 2019, tinha sido compartilhada por mais de 800 pessoas e é FALSO.

Não existe nenhum registro de que o ministro Celso de Mello tenha dito a frase analisada pelo Pipeify. Segundo a assessoria de imprensa do STF, o ministro nunca deu essa declaração. Ele tampouco votou para que “pedófilos nunca sejam presos”.