É falso que imagem prove uma farsa nos testes da CoronaVac

49

Circula nas redes sociais um post afirmando que um vídeo esteja a prova de que os testes da vacina contra a Covid-19, realizados em São Paulo, sejam uma farsa. O vídeo mostra a primeira voluntária recebendo uma dose da CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa SinoVac, em parceria com o instituto Butantan. Segundo a legenda do post, a voluntária estaria apenas fingindo tomar a vacina e, dessa forma, o prefeito João Doria estaria criando uma “farsa”.

“Gente é sério isso? No fim do procedimento a agulha está com o protetor? Eu vi isso? E cade o algodão? Me parece mais uma farsa do ditador cor de rosa” – Legenda de imagem publicada no Facebook. (Fonte: Reprodução)

Essa informação é falsa. O vídeo que circula nas redes sociais é, de fato, uma encenação. Porém existem outros registros que provam que a vacina foi aplicada. Tanto em um vídeo publicado pelo portal UOL, quanto em uma foto divulgada pela Secretaria de Comunicação do Governo de São Paulo (Secom), é possível ver a agulha entrando na pele da médica Stefania Teixeira Porto, primeira voluntária brasileira a ser vacinada com a Coronavac.

O motivo que causou o boato foi o fato de a cena ter sido filmada e fotografada suas vezes. Na primeira, a vacina foi realmente aplicada, como é possível ver no vídeo e fotos mencionadas. Nesse momento da vacinação o governador de São Paulo, João Doria não aparece nos registros. Já em um segundo momento, a vacinação foi encenada para que pudessem ser feitos registros fotográficos, desta vez, com Doria na sala.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo afirma que, seguindo os protocolos de segurança e prevenção à Covid-19” foi permitida apenas a entrada de profissionais de vídeo de fotografia da Secom, no momento da vacinação. Depois, da aplicação da vacina foi organizada uma simulação “para os respectivos registros audiovisuais, afirmou a Secretaria.

A vacina conhecida como CoronaVac começou a ser testada na última terca-feira (21), em São Paulo, no Hospital das Clínicas da USP. Desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, a vacina está na terceira fase de estudos e será testada em 9 mil profissionais da saúde de todo o Brasil, que são voluntários nessa etapa de testes.

Conteúdo de fact-checking do Pipeify.