É falso que prefeito de BH foi hostilizado em restaurante durante a pandemia

81

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o prefeito de Belo Horizonte (MG), Alexandre Kalil, sendo abordado por um homem em um estabelecimento comercial e, em seguida, os dois discutem. Segundo a legenda que acompanha o vídeo, o prefeito teria ido almoçar na cidade vizinha, Nova Lima, após fechar bares e restaurantes em BH.

“Prefeito fechou os bares e restaurantes de BH e foi almoçar na cidade vizinha de Nova Lima e o cidadão lesado pela medida foi ter uma conversa.” – Legenda do post que circula nas redes sociais. (Fonte: Reprodução)
“Prefeito fechou os bares e restaurantes de BH e foi almoçar na cidade vizinha de Nova Lima e o cidadão lesado pela medida foi ter uma conversa.” – Legenda do post que circula nas redes sociais. (Fonte: Reprodução)

Essa informação é falsa. O vídeo não foi gravado após o início da pandemia de Covid-19 que, em março, fez com que a administração municipal de Belo Horizonte a adotar medidas restritivas para conter a propagação do vírus.

O vídeo que circula nas redes sociais foi gravado em 2018. O homem que aparece discutindo com o prefeito é o deputado estadual Bernardo Bartolomeu, conhecido como Bartô. O deputado, que ainda era candidato na época, cobrou Kalil pelo gasto de R$ 63 mil no fretamento de um jatinho para que o procurador-geral do município, Tomáz Aquino, viajasse para a Brasília. Na ocasião, o prefeito chegou a registrar um boletim de ocorrência contra Bartô alegando perturbação do sossego alheio. Diferente do que circula nas redes, o restaurante não era localizado na cidade de Nova Lima, mas sim em Belo Horizonte.

Em relação ao dinheiro gasto, a prefeitura de Belo Horizonte declarou que Aquino foi à Brasília para uma reunião de última hora com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que rendeu a liberação de R$ 180 milhões de repasses do governo estadual que estavam atrasados.

Na terça feira (4), Kalil anunciou a reabertura parcial do comercio na cidade. A prefeitura deve seguir um plano no qual as lojas de varejo podem funcionar, a partir do dia 12, respeitando alguns horários estabelecidos.

Conteúdo de fact-checking do Pipeify.