Nory admite erro racista de 2015: “Me envergonho bastante”

Depois de cinco anos, Arthur Nory falou abertamente sobre o ato racista que cometeu em 2015. O atual campeão mundial da barra fixa assumiu o erro por considerar na época uma brincadeira a Angelo Assumpção, na época colega de seleção brasileira e do Esporte Clube Pinheiros.

O ginasta de 26 anos se mostrou envergonhado e contou que está tentando se desconstruir e se tornar uma pessoa melhor.

– Estou aqui para quebrar o silêncio para um assunto que tem de ser tratado com atenção. Eu me envergonho bastante. Tinha duas escolhas: continuar achando que era uma brincadeira ou buscar aprender com aquilo. Isso não pode se repetir, principalmente no esporte, onde você acaba se tornando uma referência para os outros. É importante você ser um exemplo bom. E que esse exemplo que aconteceu comigo lá atrás não seja para ser seguido, seja um exemplo para ser olhado, tratado e orientado para desconstruir tudo isso que existe nessas bolhas. A primeira coisa é reconhecer. Foi quando entendi a gravidade. Procurei o Angelo em três momentos para pedir perdão. É direito dele me perdoar ou não, e é obrigação minha aprender com meu erro, buscar conhecimento, me tornar uma pessoa melhor e principalmente me desconstruir – disse Arthur, em um vídeo postado em suas redes sociais.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Arthur Nory (@arthurnory) em

Na época, Nory e Angelo estavam em um período de treinamento da seleção brasileira em Portugal. O vídeo vazou na internet. “Seu celular quebrou: a tela quando funciona é branca… Quando ele estraga é de que cor? (risos)”, pergunta Arthur Nory, com Angelo constrangido próximo a ele. “Preto!”, respondem os outros. “O saquinho do supermercado é branco. E o do lixo? É preto!”.

Durante a reportagem do Esporte Espetacular, o caso voltou aos noticiários. Apenas Angelo, vítima na situação, foi punido com a demissão. Nory, que não teve relação com os novos casos denunciados por Angelo, já havia admitido o erro no caso de 2015.

– Não foi uma brincadeira. Foi uma atitude repugnante inaceitável que hoje não pode acontecer mais. A gente não pode ser conivente com uma situação como essa – disse o ginasta ao Esporte Espetacular.

Medalhista de bronze no solo das Olimpíadas do Rio de Janeiro, Nory se prepara para disputar os Jogos de Tóquio. Em sua caminha, espera aprender com seus erros.

Mais informações na galeria acima.