É falso que vacina da Covid-19 causa infertilidade feminina

62

Circula nas redes sociais uma publicação afirmando que a vacina da Covid-19 poderia causar infertilidade em mulheres. O texto seria a tradução de um conteúdo produzido pelo alemão Wolfgang Wodarg, que é médico e político, e por Michael Yeadon, ex-chefe de pesquisa respiratória da Pfizer.

URGENTE: A Vacina Covid-19 é esterilização feminina, denunciam especialistas (…) Suspensão imediata de todos os estudos da vacina SARS CoV 2, em particular estudo BioNtech/Pfizer sobre BNT162b (número EudraCT 2020-002641-42). – Trecho de texto compartilhado nas redes sociais. (Fonte: Reprodução)

Essa informação é falsa. Até o momento, não existem evidências científicas comprovando que a vacina contra a Covid-19 possa causar infertilidade feminina. A estrutura spike, mencionada no texto que circula nas redes sociais, está presente no coronavírus e é usada como base em alguns tipos de vacina contra a Covid-19.

Em estudos recentes sobre a estrutura, não foi feita nenhuma associação sobre a possibilidade de a substância ocasionar alguma reação, como a infertilidade, quando cruzada com proteínas humanas. Atualmente, mais de 200 vacinas contra a doença estão sendo estudadas, sendo que 51 delas já estão na fase de testes. Durante o processo de criação das vacinas, cientistas descobriram que as estruturas das proteínas virais, como a proteína spike, entre outras substâncias, são fundamentais para se chegar a um anticorpo eficaz contra SARS-CoV-2.

Circula nas redes sociais uma publicação afirmando que a vacina da Covid-19 poderia causar infertilidade em mulheres. (Fonte: Reprodução)

A vacina Pfizer-BioNTech BNT162b2, por exemplo, que é citada no texto com informações falsas, usa esse tipo de estrutura e já foi aprovada pelo governo britânico para uso emergencial a partir de dezembro de 2020, no Reino Unido.

Essa imunização usa instruções genéticas (mRNA) para produzir a mesma proteína do SARS-CoV-2. Assim, se uma pessoa vacinada for exposta ao vírus, as células do corpo conseguem identificar as instruções genéticas e produzem a proteína spike. Dessa forma, sistema imunológico será capaz de reconhecer a proteína e, então, produzirá defesas naturais. Vale ressaltar que, diferentemente da informação que circula na internet, esse processo não afeta a proteína sincitina-1, que é produzida pelo corpo humano e é importante para a adesão placentária.

O médico e político alemão. Wolfgang Wodarg, que é autor do texto, já se envolveu outras polêmicas relacionadas à pandemia de Covid-19. Em abril, por exemplo, ele chegou a admitir que o vírus era inofensivo.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.