Trump deixa hoje a Casa Branca com legado marcado por desinformação com selo oficial

A desconfiança, semeada por Trump com reiteradas mentiras sobre fraude na votação, teve como consequência a invasão do Capitólio dia 6, e o aumento dos temores de que seus partidários lançassem mais atos violentos contra a democracia norte-americana. (Foto: Facebook)

Joe Biden assume a Casa Branca nesta quarta-feira (20) e terá como desafio não apenas tirar os EUA da crise sanitária e econômica causada pela pandemia de covid-19. O democrata terá de liderá-la enquanto sua própria legitimidade política foi posta em xeque por uma campanha de desinformação e notícias falsas criada em grande medida pelo antecessor, o republicano Donald Trump.

As Fake News, disseminadas em sua maioria pelo próprio Trump com reiteradas mentiras sobre fraude na votação, teve como consequência a invasão do Capitólio dia 6, e o aumento dos temores de que seus partidários lançassem mais atos violentos contra a democracia norte-americana.

+ Trump suspende as restrições de voo para viajantes do Brasil e Europa mas Joe Biden discorda

Como melhorar o combate à desinformação quando ela vem de cima?

Depois de quatro anos de governo Trump, a disseminação de conteúdos falsos e enganosos se tornou dominante e infiltrada em altas esferas de poder. O passo crucial é entender que há um problema de modo que permita que a sociedade busque soluções já que possui a convicção de que a desinformação nos leva a fazer escolhas, tomar decisões, às vezes equivocadas.

A saída é derrubar todos os meios de comunicação?

O bloqueio temporário à página de Trump no Facebook após os ataques no Capitólio aconteceu apesar de a gigante de tecnologia não permitir que checadores parceiros verifiquem conteúdo de políticos. A derrubada na conta de Trump aconteceu antes mesmo de poderem checá-lo. Em contrapartida, a mesma rede social manteve milhares de páginas com conteúdo similar que não foram checadas. Sendo assim, um dos caminhos mais eficazes para ajudar no combate à desinformação nas redes sociais seria através da prestação de contas onde as redes pudessem ser responsabilizadas de forma mais ampla não só por permitir o tráfego de conteúdo falso, mas em muitos casos por lucrar com desinformação que viraliza e transtorna as pessoa.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.