É falso que as vacinas contra a Covid-19 alterem o código genético e causem câncer

Circula nas redes sociais um vídeo em que o médico Alessandro Loiola afirma que as vacinas contra Covid-19 são capazes de alterar o código genético humano e que, no futuro, essas alterações provoquem “epidemias de câncer”. Ele fez as acusações por conta da tecnologia de vetor viral e de DNA e RNA mensageiro utilizada nos imunizantes.

++ Falso: Joe Biden não afirmou que cloroquina é eficaz no combate à Covid-19

Essas informações são falsas. O vídeo foi checado pela ferramenta de verificação do Facebook, onde a publicação já tinha mais de 280 mil compartilhamentos. Autoridades sanitárias e especialistas afirmaram que não é verdade a afirmação de que as vacinas tenham esse potencial de alterar o DNA humano. O conteúdo também foi analisado pelo Aos Fatos e a Agência Brasil. 

O RNA mensageiro presente em vacinas como as da Pfizer e da Moderna, dão “instruções” para que as celular produzam a proteína spike, encontrada na superfície do Coronavírus. Dessa forma, a proteína gera uma resposta imunológica do organismo que reage produzindo anticorpos para “se defender”. 

O Centro de Controle de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, o CDC, afirmou que o RNA mensageiro não entra no núcleo da célula onde está presente o DNA humano. Dessa forma, não é possível que ele possa alterá-lo, pois as vacinas apenas estimulam o sistema imune humano. 

Já as vacinas que usam a tecnologia do vetor viral usam uma versão modificada de um vírus, o vetor, que fornecem instruções para as células. Os imunizantes que usam essa técnica são a Astrazeneca/Oxford e a Sputnik V. De acordo com o CDC, eles também não são capazes de infectar uma pessoa com o Coronavírus ou de se combinar com um DNA humano. 

++ É falso que Kamala Harris fingiu tomar vacina contra Covid-19

Sobre as “epidemias de câncer” no futuro, a Preventive Medicine and Cancer Care (Centro Especializado no Tratamento do Câncer), dos Estados Unidos, afirmou em um estudo que não há comprovações científicas de que vacinas possam aumentar um risco de câncer.

Em um artigo de 2019, a instituição publicou um estudo que concluiu que, as imunizações adequadas podem diminuir o risco do desenvolvimento de cânceres, como o do colo do útero e a leucemia, por exemplo. Portanto, não é verdadeiro que as vacinas contra Covid-19 alterem o código genético humano ou provoquem câncer.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.