#FreeBritney: entenda o movimento pela liberdade da cantora

A diva do mundo pop, Britney Spears, já passou por poucas e boas. Desde de 2007, quando viveu um momento traumático de sua carreira, aparecendo em todas as revistas internacionais com os cabelos raspados e atacando um paparazzi com um guarda-chuva, a vida da dona do hit “…Baby One More Time” virou de cabeça para baixo. Sob curatela de seu pai por 13 anos, a cantora luta por sua liberdade nos tribunais. 

A história de Britney ser controlada pelo seu pai, Jamie Spears, começou mais em 2008, após episódios que envolveram tentativas de suicídio e internações em centros de reabilitação. Com o psicológico abalado, seu pai conseguiu uma espécie de “tutela” legal para maiores de 18,  já que a cantora tinha mais de 27 anos na época. 

+ Em trailer de documentário, Demi Lovato revela ter sofrido três derrames e um ataque cardíaco por overdose

Desde então, a princesa do pop perdeu a liberdade de controlar sua própria vida, carreira e dinheiro. Por alguns períodos, ela não podia nem sair de casa sozinha ou mesmo encontrar com os seus filhos, a não ser que seu pai a autorizasse.

Nesse período, surgiu o movimento #FreeBritney (Liberte Britney), pedindo a libertação da cantora da curatela de seu pai. A campanha ganhou força nos últimos anos nas ruas e redes sociais, principalmente com o lançamento do documentário Framing Britney Spears, que analisa não só a carreira da cantora, entre escândalos, vida privada, assédio aos paparazzi e o aspecto jurídico de sua existência.

Embora o documentário não tenha previsão de lançamento no Brasil, é importante saber que além de milhares de fãs apoiarem a liberdade da diva pop, a própria Britney continua firme na decisão de retirar seu pai da curatela. A próxima audiência sobre o caso acontecerá no dia 17 de março de 2021.