Fiocruz desmente boatos sobre produção de vacina em sigilo com apoio de Israel

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) se pronunciou na tarde desta sexta-feira (26), sobre os boatos que circulavam nas redes sociais, a respeito de uma produção de vacina 100% brasileira em sigilo com apoio de Israel.

++Golpe: sorteio de aniversário de empresa de tecnologia é falso

O portal de notícias “G1” entrou em contato com o instituto de pesquisa que negou tais afirmações. O boato ainda falava que essa produção secreta de vacinas estava sob supervisão do vice-presidente Hamilton Mourão. A mensagem que circulava por grupos de um aplicativo de mensagem e pelas redes sociais, dizia que o instituto de pesquisa já produziu 500 mil doses dessa tal vacina e que estimava uma produção de 6 milhões de doses por semana. A Fiocruz negou as alegações da notícia falsa.

Vale lembrar que atualmente a Fiocruz produz apenas a vacina desenvolvida pela Universidade Oxford e a farmacêutica AstraZeneca. Essa parceria que a fundação firmou com a farmacêutica é para nesse primeiro momento importar doses prontas da vacina e o IFA (ingrediente farmacêutico ativo), que é a matéria-prima da vacina. E, num segundo momento, importar a tecnologia para produção local do IFA.

Portanto, no momento a fundação não desenvolve nenhum imunizante contra o COVID-19 100% brasileiro com apoio de Israel. Essa é mais uma fake news que circula na internet a respeito da pandemia que estamos vivendo. Por isso é de extrema importância que as pessoas compartilhem apenas notícias verídicas de portais de notícias confiáveis ou de sites oficiais do governo.

++Michel Temer desmente suposta candidatura à presidência em 2022

A fake news continha também informações sobre 5 cientistas israelitas trabalhando em segredo na produção dessa vacina. Essa informação também é falsa, nenhum cientista veio em segredo para a Fiocruz desenvolver esse imunizante, a fundação negou mais essa afirmação.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.