Rússia aprova a primeira vacina para animais contra a Covid-19

Rússia anunciou nesta quarta-feira (31) que se tornou o primeiro regulador do mundo a aprovar e registrar uma vacina contra o coronavírus para animais, destinada ao uso em fazendas de peles ou para cães e gatos de estimação.

Cães e gatos podem ter que ser vacinados contra a Covid-19 no futuro, diz um grupo de cientistas

O serviço veterinário estatal do país disse que desenvolveu a vacina para animais em parte como uma ferramenta de saúde pública, para que o vírus não se espalhe de animais para humanos ou – na pior das hipóteses – sofra mutação em animais e então se espalhe de volta para humanos em uma forma mais virulenta. Ele também pode reviver a agricultura de peles depois que infecções em fazendas de visons devastaram o negócio no ano passado, disse a agência de veterinária da Rússia

Jovem dado como morto, acorda minutos antes de ter seus orgãos doados

A agência, o Serviço Federal de Supervisão Veterinária e Fitossanitária, disse não recomendar a vacinação de rotina dos animais, por enquanto. A Organização Mundial de Saúde não encontrou casos de infecções em humanos causadas por animais de estimação, disse a agência. Embora cães e gatos raramente contraiam o coronavírus, nenhuma das espécies fica muito doente. Leões, tigres e leopardos da neve também podem pegar o coronavírus.

A agência russa registrou quatro relatos de infecções em animais apenas na semana passada, na Itália e no México. Dizia que uma vacina para animais de estimação era necessária como seguro contra variantes que poderiam se espalhar mais facilmente.

“Fizemos este trabalho para o futuro”, disse o vice-diretor da agência, Konstantin Savenkov, em um comunicado. “Devemos estar preparados para prevenir uma situação, em vez de lidar com ela mais tarde, caso ela tome um rumo negativo.”

A vacina, chamada Karnivak-Kov, é destinada a carnívoros. A agência disse que realizou testes clínicos em raposas árticas, gatos, cães, visons e outros animais. A agência disse que começaria a produção em escala industrial na Rússia em uma fábrica que fabrica medicamentos veterinários.

Produtores de peles na Rússia, assim como na Áustria, Canadá, Grécia, Polônia e Estados Unidos, perguntaram sobre a compra da vacina, disse a agência. O comunicado não disse quando ou se a vacina estaria disponível para animais de estimação.

O problema das infecções em animais entrou em foco no ano passado, quando fazendas de visons abateram milhões de criaturas por causa da infecção.

A Dinamarca matou todos os visons cultivados – cerca de 17 milhões de animais – depois que o vírus se espalhou de um vison para um ser humano. Separadamente, um vison cultivado em Utah parecia ter transmitido o vírus a pelo menos um vison selvagem. Cientistas alertaram sobre o fato de o vírus estabelecer um “reservatório” em animais selvagens que mais tarde pode se espalhar para as pessoas.

A Rússia em agosto passado também afirmou ser o primeiro país a aprovar uma vacina humana, o Sputnik V, embora outros candidatos estivessem de fato mais avançados em testes clínicos na época. Desde então, promoveu o Sputnik V para países ao redor do mundo, reforçando o poder brando do Kremlin.