Doria nega falta de insumos para a produção da CoronaVac

De acordo com João Doria, o estado irá receber três mil litros de insumos para produzir cinco milhões de doses do imunizante (Foto: Twitter/ @jdoriajr)
De acordo com João Doria, o estado irá receber três mil litros de insumos para produzir cinco milhões de doses do imunizante (Foto: Twitter/ @jdoriajr)

O governador do estado de São Paulo, João Doria, declarou na tarde da última quinta-feira (08), que o Instituto Butantan não sofre com falta de insumos para produzir a vacina CoronaVac.

++Ministro das Comunicações nega atrito do governo com as Forças Armadas

De acordo com João Doria, o estado irá receber três mil litros de insumos para produzir cinco milhões de doses do imunizante. As informações fornecidas pela administração estadual ainda diz que a matéria prima está prevista para chegar ao Brasil no dia 20 de abril. Isso irá permitir que o Instituto Butantan complete a entrega de 46 milhões de doses para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) até o final do mês.

Em um vídeo publicado em seu perfil do Twitter, Doria fala sobre a autorização do embarque dos insumos: “Tivemos a boa notícia ontem da autorização do embarque de mais três mil litros dos insumos do IFA para a produção da vacina do Butantan aqui nas instalações do instituto em São Paulo”, declarou ele.


A chegada desses insumos é um sopro de esperança na produção do imunizante contra o COVID-19. Além do embarque dessas substâncias que foi liberado na última quarta-feira (07), o Butantan ainda aguarda que mais três mil litros de insumos sejam liberados na próxima semana: “Essa autorização da China é importante, três mil litros, mas esperamos já para a próxima semana uma nova autorização de três mil litros adicionais. Com isso vamos cumprir integralmente nossos compromissos com o povo brasileiro no sentido de fornecimento dessa vacina”, disse Dimas Covas.

++USP nega que “imunidade de rebanho” seja eficiente contra o COVID-19

O Instituto Butantan tem sido responsável pelo fornecimento de mais de 80% das vacinas contra a Covid-19 aplicadas em todo o Brasil.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.