Facebook anuncia que vai alertar sobre ‘métodos alternativos’ de combate à Covid-19

O Facebook anunciou, nesta terça-feira (13), que tanto a sua rede social primária quanto o Instagram vão começar a colocar selos em publicações que falem sobre métodos ”alternativos” para tratar a Covid-19. O objetivo, segundo a empresa, é alertar os internautas a respeito da ineficácia e até mesmo, em casos mais graves, dos perigos que resulta em adotar tais métodos em busca de uma cura da doença (o que, até então não existe). Vale ressaltar que o único método preventivo, até então conhecido, é o da vacinação.

++ Facebook desmente que tenha acesso às contas bancárias dos usuários

Facebook usará como fonte a própria OMS

Por fim, a mensagem é clara e tem como fonte a própria Organização Mundial da Saúde (OMS): ”Alguns tratamentos para a Covid-19 não são aprovados e podem causar danos graves.”, alerta a empresa.

Desde o início da pandemia causada pelo Coronavírus, o Facebook tem trabalhado próximo às autoridades globais de saúde para conectar as pessoas com informações seguras e atualizadas sobre prevenção e vacinas.”, afirma ainda, em seguida. ”O Facebook continua a expandir a aplicação de medidas adicionando um novo rótulo a postagens no Facebook e Instagram que discutem alguns tratamentos para a Covid-19, especialmente quando debatidos como alternativas à vacinação.”, pontua.

Empresa verificará o que é fato e o que é fake

A rede social ressaltou também sua crescente parceria com agências de verificação de fatos e Fake News. Desse modo, a companhia já tem publicações contendo alguns argumentos comprovadamente falsos à respeito da doença. Como teorias da conspiração e o argumento de que ”é mais seguro contrair Covid-19 do que tomar a vacina”, por exemplo.

++ Covid-19: Facebook passa a notificar usuários que curtiram fake news sobre a doença

Esses argumentos e outras postagens de notícias falsas serão excluídas imediatamente da plataforma. Segundo o Facebook, desde o início da pandemia, mais de 16 milhões de conteúdos foram removidos por espalhar a desinformação.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.