Paulo Guedes nega demissão na equipe e pressão política para troca de secretários

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (27), Paulo Guedes confirmou a saída do secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, mas negou que tenha havido uma demissão. Segundo o atual ministro da Economia, o que ocorre no governo é um remanejamento, justificado por uma avaliação periódica.

+ Haddad desmente colunista sobre “conversa com a Faria Lima”

Mais tarde, o ministro atribuiu as mudanças ao “desgaste natural” provocado pela sanção da lei orçamentária de 2021, mas negou pressão política ou problemas entre a equipe. Em nota, o Ministério da Economia agradeceu a “dedicação, lealdade e resiliência” de Rodrigues.

Entenda as mudanças

Waldery Rodrigues foi promovido a assessor especial de Guedes. Quem assume a secretaria da Fazenda é Bruno Funchal, que deixa o cargo de secretário do Tesouro Nacional. A secretaria do Tesouro, por sua vez, será ocupada por Jefferson Bittencourt, ex-assessor de Guedes.

Quem também deixa o cargo é George Soares, da Secretaria de Orçamento Federal (SOF), substituído por Ariosto Antunes Culau, analista de Planejamento e Orçamento. A assessora especial para a reforma tributária do Ministério da Economia, Vanessa Canado, também pediu para deixar o cargo. Quem assume seu lugar é o economista Isaías Coelho.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.