Governo do Amazonas rebate Eduardo Pazuello e nega ter recusado ajuda federal

O governo do Amazonas rebateu na última quinta-feira (20) a declaração de Eduardo Pazuello à CPI da Covid. O ex-ministro da saúde afirmou que o governo do estado e a empresa White Martins seriam os responsáveis pelo colapso da saúde de Manaus, em janeiro. 

++ Secretaria de Saúde do AM desmente Pazuello sobre falta de oxigênio

Por meio de uma nota ao Jornal O Estado de São Paulo, o governador Wilson Lima afirmou que nunca recusou qualquer tipo de ajuda relacionada às ações de enfrentamento” no combate a Covid-19 no estado.

“O Governo do Amazonas sempre pediu a colaboração federal para auxiliar no combate à pandemia. Esse apoio foi ampliado com a instalação do Comitê de Resposta Rápida, formado por representantes do Governo do Estado, Governo Federal e Prefeitura de Manaus, para enfrentar a crise que se agravou no Amazonas no início de janeiro de 2021”, afirmou a assessoria de imprensa de Wilson Lima.

A Secretaria de Saúde do Amazonas já havia desmentido Eduardo Pazuello após a afirmação de que ele só teve conhecimento sobre a falta de oxigênio no Amazonas no dia 10 de janeiro.

Em depoimento à Polícia Federal, o senador e vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues, afirmou que Marcellus Campêlo, o secretário da saúde do Amazonas, avisou ao ex-ministro sobre o colapso ainda no dia 07.

++ Ministra da Agricultura nega mal estar com a China: “Relação de confiança”

O ex-ministro da Saúde afirmou à CPI da Covid que o governo federal chegou a discutir uma intervenção no Amazonas, mas que o auxílio foi recusado por Wilson Lima. 

“[A decisão de intervir] foi levada ao conselho de ministros, o governador se apresentou, se justificou. Desculpa, quero retirar o termo, não é conselho de ministros, é reunião de ministros, com o presidente. O governador explicou e foi decidido pela não intervenção”, afirmou Eduardo Pazuello em seu depoimento. 

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.