Em depoimento, enfermeiro nega ter abandonado Diego Maradona e revela: ”Disseram para não incomodar”

Nessa terça-feira (15), Ricardo Omar Almirón, enfermeiro noturno de Diego Maradona e uma das últimas pessoas a ver o astro com vida, negou ter abandonando seu paciente. Além disso, ele revelou ao Ministério Público que recebeu ordens para não acordar o ex-jogador de futebol.

++ Fãs confundem Maradona com Madonna e lamentam a morte da cantora nas redes sociais

Enfermeiro afirma que recebeu ordens de seus superiores

O enfermeiro, de 37 anos de idade, é o primeiro integrante da equipe médica de Maradona a comparecer ao MP argentino que ainda investiga a morte do ídolo do Napoli.

Os seus superiores disseram para ele não incomodar o paciente.” , revelou logo a princípio o profissional durante depoimento.

Defesa de Almirón

Meu cliente teve a sabedoria de realizar sua tarefa sem que o paciente se sentisse sobrecarregado.”, defendeu ainda o advogado de Almirón, Franco Chiarelli, à imprensa ao deixar o MP de San Isidro.

++ Confira os famosos que são verdadeiros craques do futebol

Segundo seu advogado, Almirón ”percebeu alguns sinais de alerta” em Maradona, que ele enviou, mas que só puderam ser interpretados por ”profissionais que tinham uma visão global da situação” do astro argentino. Além disso, o enfermeiro também não teria sido informado dos problemas cardíacos do paciente.

Saiba mais detalhes

O enfermeiro é suspeito de ter mentido ao dizer que Maradona dormia e respirava normalmente algumas horas antes de sua morte, circunstância negada pela autópsia. Seis outros membros da equipe médica do ex-jogador serão ouvidos nos próximos dias pelos promotores do caso.

As autoridades locais acreditam que a morte de Maradona, que aconteceu em 25 de novembro de 2020, foi fruto de negligência profissional por parte dos médicos que tratavam do astro.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.