Reino Unido anuncia data da 3ª dose da vacina contra Covid para adultos acima de 50 anos

6

O Reino Unido anunciou nesta quarta-feira (30), a data que milhões de ingleses deverão receber a terceira dose da vacina contra o novo coronavírus.

Hospital ZERA pacientes com covid em UTI e profissionais de saúde comemoram no Brasil

O Comitê Conjunto de Vacinações e Imunizações (JCVI) disse que o esquema de reforço deverrá começar em setembro deste ano e terá em média 23 milhões de pessoas com mais de 50 anos, vulneráveis ​​e funcionários de lares de saúde para receber com prioridade a terceira  dose das vacinas contra a Covid-19.

As vacinas extras seriam lançadas em dois estágios – priorizando aquelas com maior risco de Covid – com os pacientes oferecidos a vacina com a qual eles foram originalmente inoculados.

+ Ex de Diogo Nogueira nega que tenha postado indireta para atriz Paolla Oliveira e o cantor

Isso coincidirá com o programa anual de inoculação da gripe, que as autoridades de saúde dizem que será vital neste inverno em meio a alertas de uma difícil temporada de gripe.

O conselho provisório foi elaborado para garantir que o sistema de saúde britânico esteja preparado para qualquer possível campanha de reforço no outono, enquanto os funcionários aguardam mais dados sobre se uma terceira dose será necessária.

O recém-nomeado Secretário de Saúde, Sajid Javid, disse que “acolheu com agrado” a nova orientação, que poderia “nos ajudar a garantir que estamos prontos em nossos preparativos para o outono”.

E o professor Jonathan Van-Tam, vice-chefe médico da Inglaterra, disse que isso manteria a Grã-Bretanha na ‘dianteira’ na luta contra Covid.

Fontes da JCVI disseram que os dados sugerem que as doses da Covid estimulam a imunidade que dura pelo menos seis meses na “maioria” dos casos, mas há temores de que isso possa diminuir no final do ano, o que pode causar um aumento nas hospitalizações e mortes.

Um estudo da Universidade de Oxford analisando as doses de reforço sugeriu que uma terceira injeção seis meses após a segunda poderia restaurar o pico de imunidade contra Covid.

Isso acontece depois que o professor Chris Whitty disse em uma reunião do gabinete ontem que a Inglaterra está em vias de suspender as restrições restantes da Covid no ‘Dia da Liberdade’ de 19 de julho. E Boris Johnson parecia cada vez mais otimista que as restrições seriam levantadas conforme planejado nas PMQs hoje, dizendo que a Grã-Bretanha tem ‘uma parede mais alta de vacinação do que virtualmente qualquer outro país no mundo’.

Vale lembrar que o Reino Unido registrou nesta quarta-feira (30) mais de 20.000 casos pelo terceiro dia consecutivo, mas as mortes pelo vírus continuaram diminuindo, um sinal claro de que as vacinas estão funcionando. Mas os cientistas alertaram hoje que a Inglaterra pode enfrentar um aumento nos casos de Covid nas próximas semanas por causa do sucesso dos Três Leões na Euro 2020, embora isso não deva se traduzir em um aumento nas hospitalizações e mortes.

Apenas um em cada 100 leitos do sistema de saúde do Reino Unido estava sendo ocupado por pacientes da Covid na Inglaterra na semana passada – quatorze vezes menos do que no início da segunda onda, de acordo com números oficiais que destacam o poder das vacinas.