Após cometer racismo e homofobia, senhora vai parar em tratamento psiquiátrico

Há quase dois anos, a bacharel em direito Lidiane Brandão Biezok, de 46 anos, viralizou na internet ao aparecer em um vídeo sendo racista e homofóbica. O caso em questão ocorreu em uma padaria na zona oeste de São Paulo, causando uma onda de indignação nas redes sociais.

++Confira 20 famosos que irão se candidatar nas eleições em 2022

O caso foi julgado, e Lidiane foi condenada a 2 anos e 7 meses de regime aberto, pelas acusações de racismo, homofobia e lesão corporal leve. Mas após todo esse tempo, a justiça decidiu mudar a sentença da senhora para 24 meses de tratamento em uma clínica psiquiátrica.

A bacharel foi diagnosticada com transtorno de personalidade borderline, por isso, foi considerada semi-imputável. Essa decisão da justiça chamou a atenção do público, as pessoas estão ressaltando os privilégios de Lidiane, após ter uma atitude preconceituosa com os funcionários da padaria.

++Gravidez aos 50? Veja as famosas que engravidaram nessa idade

Sabendo disso, e para contextualizar a respeito da situação, decidimos separar uma lista com algumas das principais informações sobre o caso. Confira a galeria de imagens acima e veja tudo que reunimos especialmente para você.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  , no Twitter e também  no Instagram para mais notícias do PaiPee.