As percepções sobre os jogadores brasileiros são realmente verdadeiras?

66

O Brasil tem visto um aumento significativo em seu setor de jogos com dinheiro real, agora classificado como o quinto maior mercado de jogos de azar do mundo. 

Os números mostram cerca de R$50 bilhões (aproximadamente US$10 bilhões) em gastos anuais, com o Brasil tendo mais de 100 milhões de jogadores. 

Os números de 2021 apontam que as loterias estaduais brasileiras geram quase R$18,1 bilhões (cerca de US$4 bilhões) sozinhas.

Uma pesquisa realizada pela SevenJackpots, um cassino online, descobriu que o jogador brasileiro médio de dinheiro real tem as seguintes características comuns: 

  • Idade entre 30 e 40 anos 
  • Quase uma divisão 50/50 quando se trata de homens ou mulheres.
  • Classe média.  
  • Jogam de 10 a 50 reais por mês
  • Emprego regular e permanente 
  • Tendem a jogar uma média de 30 minutos por dia.
  • Moram em uma capital estadual ou em seus arredores metropolitanos
  • Geralmente jogam pelo menos dois jogos, em alguns casos mais – a loteria, algumas apostas esportivas e, ocasionalmente, jogos de cassino on-line, como caça-níqueis ou pôquer 
  • Têm boa formação acadêmica 
  • Não têm muito conhecimento sobre as regulamentações atuais, mas cresceram com a consciência do jogo responsável.

Aqui está uma análise mais precisa do jogador brasileiro padrão no que diz respeito a idade:  

Os brasileiros são os maiores apostadores da América Latina? 

A mesma pesquisa da SevenJackpots relatou que 66% dos brasileiros jogaram com dinheiro real no último ano ou mais. 

Isso corrobora a teoria de que os brasileiros têm o jogo no sangue e que ele faz parte de sua cultura. 

Mas uma pesquisa recente do gigante provedor de software Playtech sugere que eles certamente não são o único país da América Latina onde a maioria da população joga. 

A pesquisa da Playtech apresentou resultados ligeiramente diferentes quando se tratou da porcentagem de brasileiros que fizeram pelo menos uma aposta com dinheiro real nos últimos 12 meses. Em vez de 66%, o número foi de apenas 60%, de acordo com essa pesquisa. 

Você fez apostas online nos últimos seis meses?

Fonte: Playtech – Jogo responsável: percepções e tendências do consumidor na América Latina em 2022

Isso significa que, dos cinco países da América Latina incluídos no estudo, apenas a Argentina teve uma porcentagem menor de pessoas pesquisadas que apostaram em dinheiro real nos últimos 12 meses. 

O número do Brasil foi menor do que o do Chile (68%), da Colômbia (75%) e uma distância considerável do Peru (82%), que liderou a tabela. 

Portanto, embora o número inicial de 66% da SevenJackpots, ou até mesmo os 60% relatados pela Playtech, pareça alto à primeira vista, ele é facilmente superado por pessoas de outros países latino-americanos. 

Opinião dos brasileiros sobre o jogo responsável em comparação com o restante da América Latina 

Quando a SevenJackpots pesquisou os brasileiros sobre questões como fraude ou vício, apenas 12% indicaram ter conhecimento desses problemas. 

Isso pode parecer alto, mas em um mercado pouco regulamentado, não é de se surpreender. 

Curiosamente, 9% buscaram apoio ou aconselhamento, refletindo a consciência aguda dos brasileiros sobre os riscos envolvidos em jogos com dinheiro real e suas implicações pessoais e financeiras.

Esse último dado está de acordo com a percepção geral de que, embora os brasileiros sejam grandes apostadores, eles levam a sério o jogo responsável

Enfatizar o jogo responsável (GR) é fundamental no setor de jogos de azar. Uma estratégia nacional unificada exigiria políticas rigorosas para todos os envolvidos, defendendo a segurança de alto nível e as experiências do usuário. 

O GR desempenha um papel vital na proteção dos jogadores contra possíveis danos.

Mas como o Brasil se compara a outros países da América Latina quando se trata de jogo responsável, tanto em termos de manter o jogo seguro contra operadores desonestos quanto de manter o controle de seus próprios hábitos de jogo? 

Mais pesquisas da Playtech nos dão algumas respostas interessantes.

O que você entende por jogo responsável (selecione todas as opções aplicáveis)?

Fonte: Playtech – Jogo responsável: percepções e tendências do consumidor na América Latina em 2022

Em um aceno ao jogo responsável, o Brasil ficou em primeiro lugar (60%) por considerar o jogo em sites legais como parte do jogo responsável. 

O país também ficou em primeiro lugar quando considerou “não correr atrás das perdas” como parte do GR, com 33% de concordância com essa afirmação, aproximadamente o dobro da quantidade dos outros países pesquisados.  

Surpreendentemente, porém, o Brasil ficou em último lugar entre os cinco países e a uma certa distância quando perguntado se “não gastar dinheiro que não posso perder em apostas” era algo que eles consideravam parte do jogo responsável. 

Considera que jogo responsável inclui não gastar dinheiro que não posso me dar ao luxo de perder em apostas?

Fonte: Playtech – Jogo responsável: percepções e tendências do consumidor na América Latina em 2022

Ainda assim, o estudo mostra que os brasileiros estão mais conscientes do jogo responsável e mais cientes de seus perigos do que seus colegas de outros países da América Latina.

A percepção versus as estatísticas trazem algumas conclusões interessantes 

Portanto, a ideia de que há mais apostadores de dinheiro real no Brasil como porcentagem da população do que em outros países da América Latina não é apoiada por essa pesquisa da Playech, embora a mesma pesquisa aponte que o Brasil tem altos níveis de conscientização e compreensão do jogo responsável em comparação com outros países da América Latina.

O que só pode ser uma coisa boa. 

Como o Brasil se destaca como uma potência no mercado de jogos de azar da América Latina, suas tendências, motivações e preocupações exclusivas o diferenciam. 

Como a grande maioria vê o jogo como uma atividade recreativa, a natureza recreativa do mercado é evidente. 

Embora a região da América Latina apresenta seu próprio conjunto de desafios e padrões, a abordagem distinta do Brasil, marcada pela confiança, pela consciência de risco e pelo valor de entretenimento do jogo, o posiciona de forma única no cenário global. 

O futuro é promissor, pois o Brasil continua a desenvolver seu setor de jogos, ancorado em princípios e regulamentos de jogo responsável.