Carolina Dieckmann esclarece fala sobre morte da mãe: “Maldade humana”

107

Na noite desta sexta-feira (23), Carolina Dieckmann utilizou suas redes sociais para fazer um desabafo e esclarecer a polêmica em torno de uma declaração feita em um podcast. Durante a participação no “Desculpa alguma coisa”, de Tati Bernardi, a atriz comparou a dor de sua separação amigável com Marcos Frota, em 2004, à perda de sua mãe.

++ Sem plásticas! 9 famosas que ostentam beleza natural e corpo definido

“Minha separação com Marcos foi barra pesadíssima. Fiquei mais triste do que quando perdi minha mãe. Separar é muito difícil. Obviamente que perder uma mãe é muito mais sério, mais triste, mas perder uma mãe, você não tem o que fazer, ela morreu. Quando você decide separar, tem uma carga que você tem, uma culpa… Não é só o sofrimento, tem um peso”, disse ela.

++ Cintia Dicker diz não querer mais filhos com Pedro Scooby

No vídeo publicado em seus stories, Carolina explicou que a comparação foi mal interpretada, pois foi retirada do contexto. A atriz esclareceu que não se sente culpada pela morte de sua mãe, Maíra Dieckmann, ocorrida em 2019, pois foi algo natural.

”Minha mãe um dia não acordou. Me senti responsável por tudo o que o meu filho sofreu, porque obviamente que toda criança que vê os pais se separarem, vê os pais sofrerem até se separarem, porque a gente sofre antes de se separar, vê aquele lar, aquela vida, acabar, isso é triste para todo mundo. Então, eu, por ter tomado essa decisão me senti culpada pelo sofrimento até do Marcos”, confessou.

“Até eu entender, eu metabolizar isso, que eu fiz algo que era impossível eu não ter feito, eu sofri muito! E eu acho, sim, que a dor que a gente sente quando a gente acha que é culpado, quando a gente se sente causadora daquilo, é muito ruim!”, completou.

++ Além de Kevin O Chris, veja artistas que já brigaram por direitos autorais de seus trabalhos

A atriz afirmou que perder uma mãe é uma dor inexplicável, mas que não podia fazer nada a respeito. “A dor da separação, a dor de ver um filho pequeno sofrer e a dor de você achar que causou tudo aquilo é muito pesada. Eu era muito nova, foi muito difícil, e foi por isso que eu respondi a Tati comparando as coisas que você pode fazer e mudar das coisas que você não pode”, afirmou.

“As pessoas até começaram a falar que talvez eu não tenha sofrido porque a minha mãe era má. Nunca houve isso, minha mãe era incrível, mas a maldade humana é tão grande que até nisso as pessoas chegam. A minha mãe era uma mulher muito boa, muito incrível. E ela morreu”, declarou.

“E eu só vim aqui explicar porque ler que eu não senti a morte da minha mãe foi muito duro pra mim. Às vezes, a pessoa escreve uma coisa e ela não sabe o quanto ela está machucando a outra. E por que essa pessoa me machucou? O que eu fiz pra ela?. Parem de tratar a internet como esgoto”, finalizou.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  , no Twitter e também no Instagram para mais notícias do PaiPee.