É falso que OMS não recomenda o uso de máscaras para pessoas saudáveis

50

Circula nas redes sociais um post afirmando que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera desnecessário o uso de mascarás de proteção para pessoas saudáveis. O post questiona o motivo pelo qual, em alguns locais, a obrigatoriedade da máscara existe.

“FOMOS ENGANADOS?! Organização Mundial da Saúde alerta sobre máscara ser desnecessária para pessoas saudáveis. Por que estamos sendo obrigados a usar?” – Imagem publicada no Facebook.

Essa informação é falsa. O mais recente guia do OMS sobre o uso de máscaras cirúrgicas e de tecido foi publicado em 5 de junho, e nele, é dito que as máscaras devem ser utilizadas pelo publico geral, incluindo pessoas saudáveis. O uso desse equipamento de proteção é uma estratégia importante para diminuir os riscos de transmissão do coronavírus.

O guia mais recente é ainda mais abrangente do que o anterior em relação ao uso da máscara. Em abril de 2020 a recomendação era o uso de máscaras cirúrgicas para pessoas que apresentavam os sintomas da Covid-19, ou para aquelas que estivessem cuidando de pacientes infectados, além dos profissionais de saúde. Na época, a OMS declarou que não existiam evidências de que o uso da máscara por pessoas saudáveis pudesse prevenir a Covid-19. Atualizado em junho, o documento agora, após novos estudos, recomenda o uso de máscaras de proteção para todos.

Além disso, a OMS ressalta que apenas o uso de máscaras não é suficiente para evitar a contaminação. Também é necessário que se tome as devidas medidas de higiene e que se adote o distanciamento social.

No Brasil, o Ministério da Saúde, em uma nota publicada em 4 de abril, recomenda o uso de máscaras caseiras, confeccionadas em tecido, em lugares onde pode haver aglomeração. “Pesquisas têm apontado que a utilização de máscaras caseiras impede a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que vem auxiliando na mudança de comportamento da população e diminuição de casos”, diz a nota.

Apesar das recomendações da OMS e do Ministério da Saúde, na última terça-feira (03) o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou alguns trechos de uma lei, que já havia sido aprovada pelo Congresso, e que determinava a obrigatoriedade do uso de máscara em órgãos públicos, estabelecimentos comerciais, templos religiosos, instituições de ensino e demais locais fechados onde haja reunião de pessoas.

Conteúdo de fact-checking do Pipeify.