Ilha da Tailândia cria plano para receber turistas sem quarentena

A ilha turística de Phuket, na Tailândia, esta desenvolvendo um plano emergencial para a pronta retomada de seu turismo que foi altamente afetado pela pandemia causada pelo novo coronavírus.

Segundo autoridades locais, a luxuosa ilha, destino de milhares de turistas internacionais, poderá receber viajantes já a partir de outubro deste ano sem que precisem passar pela atual quarentena de 14 dias em um hotel.

A estratégia da principal ilha do país, conhecida por seus resorts luxuosos e águas paradisíacas, é comprar doses de vacina suficientes para inocular 70% de seus cerca de 400 mil residentes até o dia 1º de setembro, alcançando dessa forma a imunidade de rebanho na população local.

+ Pós-pandemia: Volta ao mundo em 180 dias a bordo de navio já está à venda por R$ 1 milhão

O programa será financiado por vários grupos empresariais, incluindo a Câmara de Comércio de Phuket e a Associação de Turismo de Phuket. “Não podemos esperar mais. Se tivermos que esperar, não sobreviveremos”, disse Bhummikitti Ruktaengam, presidente da associação de turismo, à imprensa. “Se perdermos esta alta temporada de inverno, teremos que esperar mais um ano.”.

O plano, denominado “Phuket Primeiro de Outubro”, ainda precisa ser aprovado pelo governo. De acordo com autoridades locais, Phuket está considerando comprar doses da vacina chinesa Sinovac Biotech, que os pesquisadores descobriram ser 50,4% eficazes.

A Tailândia reabriu aos viajantes estrangeiros em outubro com um novo programa de visto de turista especial, permitindo aos visitantes que permanecessem no país por até nove meses. No entanto, as vagas quase não foram preenchidas.

Em 2020, o país, que tinha gerado mais de US$ 64 bilhões em 2018 com o turismo, teve um lucro muito inferior comparado ao anterior, totalizando US$ 28 bilhões.