Karol Conká desabafa sobre os preconceitos sofridos na infância: “Me achava feia”

281

Durante participação no programa Drag Me As A Queen Celebridades, do canal E! Entertainment, Karol Conká desabafou sobre os preconceitos que sofreu ao longo da vida, mais especificamente na infância. A cantora foi vítima de racismo na escola.

++ Família de Bárbara Borges opta por não avisar atriz do falecimento da avó: “Decidiu não informar”

“Uma professora disse que eu nunca iria conseguir nada, que o meu papel, como preta, era limpar privada”, relembrou a cantora, contando que o preconceito sofrido mexeu com a sua autoestima.

++ Deolane comemora desistência de Pétala de ‘A Fazenda 14’: “Vem pro mundão”

“Eu me achava feia, não queria ser negra. Com uns seis anos, pedia para o Papai Noel me transformar em uma pessoa loira, porque, assim, eu achava mais fácil até passar na escola e ter mais amigos. Aí com uns oito ou nove anos, vi que o Papai Noel não existia e não havia a possibilidade de eu trocar de pele… isso até eu ver o Michael Jackson”, declarou Karol Conká.

A cantora revelou que sua mãe teve um papel importante na recuperação e construção de sua autoestima. “A vaidade, sendo dosada, é sempre amiga. Já deixei a vaidade me envenenar, e a vaidade já ajudou muito na minha autoestima”, disse Conká.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook  , no Twitter e também  no Instagram para mais notícias do PaiPee.