O que muda com o Pix? 16 curiosidades sobre o novo sistema de pagamentos

74

Conheça o Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos que foi criado pelo Banco Central e começa a funcionar em todo o país no dia 16 de novembro de 2020. A proposta é oferecer um meio de pagamento mais seguro, competitivo e rápido.

As transações financeiras acontece em até dez segundos e poderão ser realizadas sete dias por semana, 24 horas por dia, valendo também nos finais de semana e feriados. Inclusive, possibilita a realização de transferências digitando apenas o celular ou CPF.

Também haverão outras funcionalidades que devem ser anunciadas conforme a implementação do novo sistema nos próximos anos. O BC garante que o Pix será “tão fácil, simples, intuitivo e rápido quanto realizar um pagamento com dinheiro em espécie”.

Mas se por um lado a vida das pessoas devem ficar mais prática, não é bem assim que pode funcionar a chegada do Pix em modelos de negócios de muitas empresas as quais atuam em diferentes elos da cadeia de meios de pagamentos, como as donas das maquininhas e as bandeiras de cartão.

Sendo assim, as comissões e taxas cobradas das empresas, que hoje representam a média ponderada de 1,7%, mas podem passar de 5% da transação, com o Pix serão muito menores e até mesmo gratuitas, já que há redução na quantidade de intermediários.

Conheça uma ótima forma de enviar e receber pagamentos com uma conta pj digital

No novo sistema existirá apenas um deles entre a conta origem e a destino, o Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), ou seja, a infraestrutura de liquidação e tecnologia por trás do Pix – gerida pelo BC – que permite que as transações aconteçam de forma instantânea.

Ouça um podcast sobre o assunto:

Confira 16 curiosidades sobre o Pix na galeria acima.