Em entrevista, Alexandre Birman nega fama de negociador furioso: “Extrema inverdade”

Em entrevista ao Estadão, o presidente do grupo Arezzo, Alexandre Birman, negou a fama de “negociador furioso”. De acordo com o jornal, a questão foi levantada após uma negociação considerada pela Hering como agressiva. Como consequência, a Arezzo foi passada para trás pelo Grupo Soma na disputa pela marca Hering.

+ Roberto Justus nega volta de ‘O Aprendiz’ e fala sobre novo projeto

Apesar do ocorrido, Alexandre Birman rejeita sua fama como negociante e considera sua empresa “da paz”. “É extrema inverdade falar isso e minha consciência é tranquila nesse sentido. Deveria até ser mais (furioso)”, disse o empresário ao jornal.

Questionado, Birman explicou seu modelo de negócios. “Pago o preço justo, inclusive no âmbito pessoal. Nosso modelo de negócio é transparente: não fico negociando a compra no meu fornecedor para ganhar margem melhor”, declarou.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.