Eleições 2020: Covas erra e diz que rombo em 2017 era de R$ 7 bilhões

95

No debate realizado pela Folha de S. Paulo – em parceria com o UOL – no dia 11 de novembro de 2020, o prefeito de São Paulo e candidato à reeleição comentou que, em 2017 havia um grande rombo orçamentário.

Com a ida ao segundo turno, a frase de Bruno Covas (PSDB) voltou a repercutir nas redes sociais. Ele disputa o cargo de prefeito da capital com Guilherme Boulos do PSOL e as votações ocorrem no próximo dia 29.

“O rombo orçamentário em 2017 era de R$ 7 bilhões”, disse Bruno Covas no debate da
Folha de S.Paulo, em parceria com o UOL, na primeira quinzena de novembro de 2020.

A informação é falsa. No final de 2016, quando Fernando Haddad (PT) deixou o cargo com prefeito de São Paulo, havia R$ 5,34 bilhões em caixa. Os dados são de acordo com o relatório de fiscalização do Tribunal de Contas do Município de São Paulo daquele ano.

Além diss, o documento conclui que “as disponibilidades financeiras da Prefeitura em 31.12.16 eram suficientes para saldar as obrigações de curto prazo. Se todas essas obrigações fossem pagas, restaria um saldo da ordem de R$ 3 bilhões”.

Mais informações na galeria acima.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.