Médicos revelam que variante indiana está causando gangrena e perda auditiva nas pessoas

Médicos indianos revelaram à imprensa nesta terça-feira (8), que a nova variante ‘Delta’, mais conhecida como variante indiana da Covid-19, está causando gangrena e perda de audição nas pessoas, algo que as cepas mais antigas do vírus não causavam.

+ Datena deixa de apresentar programa preocupado com filho internado por Covid-19

A Índia foi atingida pela nova variante, conhecida como B1617.2 ou ‘Delta’, no ínício de 2021 com milhões de pessoas sendo infectadas e hospitais lotados.

A variante B.1.617 do novo coronavírus, de origem indiana, que é considerada um risco para todo o mundo, chegou ao Brasil. O primeiro caso da cepa indiana foi confirmada no dia 20 de maio pelo Governo do Maranhão. Ela foi identificada em um indiano de 54 anos que deu entrada em um hospital da rede privada em São Luís na sexta-feira (14). Ele era um tripulante do navio MV Shandong da ZHI, embarcação que veio da Índia.

A Secretaria de Saúde do Paraná confirmou semana passada o primeiro caso de infecção pela variante indiana do novo coronavírus, chamada de B.1.617, no estado. A paciente é uma idosa de 71 anos com comorbidades, moradora de Apucarana, no centro-norte paranaense.

Sequenciamento “raro” do genoma indica que COVID foi da fato criada em um laboratório chinês

Os cientistas dizem que a variante indiana parece ser a mais infecciosa descoberta até agora e os médicos agora sugerem que pode ser mais perigosa também.

Além dos sintomas típicos de Covid, alguns indianos dizem ter visto um aumento no número de pacientes que chegam com surdez ou gangrena causada por coágulos sanguíneos.

​A gangrena é uma doença grave que surge quando alguma região do corpo não está recebendo a quantidade de sangue necessária ou sofre uma infecção severa, podendo provocar a morte dos tecidos e provocando sintomas como dor na região afetada, inchaço e alteração da cor da pele, por exemplo.