É #Fato que a Casa Branca teve que devolver credencial a jornalista da CNN que discutiu com Trump

Depois de muita controvérsia e especulações nas redes sociais, a Casa Branca devolveu nesta segunda-feira (19) a credencial do jornalista da CNN Jim Acosta, encerrando uma batalha jurídica entre a emissora e a administração de Donald Trump. A informação foi confirmada pela própria CNN.

“Hoje a Casa Branca restaurou totalmente o passe de imprensa de Jim Acosta. Como resultado, nossa ação não é mais necessária”, disse a rede em 1 comunicado. “Estamos ansiosos para continuar a cobrir a Casa Branca.”

O jornalista havia tido sua credencial suspensa após discutir com o presidente Donald Trump durante uma coletiva de imprensa no início do novembro. A justificativa do governo para a suspensão do acesso de Acosta à Casa Branca foi a de que o repórter teria tocado de forma agressiva uma auxiliar que tentava tirar o microfone de sua mão e que agiu de forma desrespeitosa com os colegas ao não ceder a vez.

O acontecimento rendeu diversas suposições nas redes sociais mundiais sobre os possíveis motivos da censura ao jornalista que só vieram a se acalmar na última sexta-feira (19) quando um juiz federal determinou que a credencial fosse restituída, após a CNN levar o caso à Justiça. A empresa alegou que o Estado cometeu abuso de poder e feriu os direitos à liberdade de expressão e de imprensa.

Trump havia afirmado na semana passada que novos regulamentos para orientar a conduta de repórteres seriam criados. “As pessoas vão ter que se comportar”, afirmou na sexta. “Você não pode fazer 3 ou 4 perguntas. Apenas uma pergunta por repórter. Você não pode ficar de pé e não se sentar”, disse o presidente dos EUA.

A decisão, informada por meio de uma carta, representa uma mudança na posição da Casa Branca em relação ao caso.

“Tendo recebido uma resposta formal de seu advogado à nossa carta de 16 de novembro, fizemos uma determinação final neste processo: seu passe suspenso foi restaurado. Caso você se recuse a seguir essas regras no futuro, nós tomaremos medidas de acordo com as regras estabelecidas. O presidente está ciente desta decisão e concorda”, diz a carta.

Em seu Twitter, o jornalista suspenso Jim Acosta se limitou a dizer que agora é hora de “voltar ao trabalho”.